Proteção anti plágio

26 de fev de 2011

Calmante não ingerível



Opa, tudo bem? Provavelmente vou postar com frrequencia, no início, pra ter conteudo no blog.
Agora vocês conhecerão( se lerem, é claro )o meu lado ideológico. hehe
Escrevi essa sentano no jardim do colégio.
-
                         Calmante não-ingerível
-
Caderno de poeta
Livro de poesia
Uma página aberta
Para a palavra que fluía
-
Escrever aleatoriedades
Um dicionário na ponta do grafite
Falar sobre insanidade?
Calmo demais para falar de chilique.
-
Uma brisa agradável
E esse sol insuportável
Me vou para a sombra
Desfrutar da calma que assombra
-
O barulho das folhas batendo
As vozes de pessoas conversando
O cheiro da comida aquecendo
e eu sigo aqui, com a natureza me tranquilizando
-
Não há nada a me incomodar
Ninguém a me chamar
Nenhum para desequilibrar
A sintonia que está a se formar
PS: eu não fumo nada

Nenhum comentário:

Postar um comentário