Proteção anti plágio

13 de jun de 2011

Solidão - poesia de desabafo, explosão sentimental

To irritado, e vo desestressar aqui. Não quero ofender ninguém e ja peço desculpa caso aconteça, mas, enfim.

Solidão

Eu não sei explicar
O que acontece comigo agora
Parece que vai acabar
Toda vida que há la fora

Um poço de raiva ambulante
Aqui dentro uma bomba
Parece fazer um tic tac irritante

Tudo faz eu querer silencio
Mas o silencio que tenho no quarto
Me deixa mais e mais irritado
Fico, a cada momento, mais frio


Os olhos latejantes
Parece que vão estourar
O olhar flamejante
Parece que  quero matar


A vontade que tenho é de bater a porta
Grita e chutar pois nada me conforta
Pior ainda é ver que não há motivos
Para os meus próximos saírem feridos


Mas eu não consigo controlar
E essa raiva também parece tristeza
Espero não acabar por afujentar
Àquele que para mim o bem deseja


Se continuar assim
Confuso e descontrolado
Vou acabar, por fim
Apenas mais um odiado